Cresce cada vez mais o uso recreativo de drones no Brasil. Entenda

Em julho de 2017, existiam quase 8 mil drones cadastrados na ANAC para uso recreativo; em seis meses, esse número quase triplicou

O número de drones e de pessoas cadastradas na Agencia Nacional de Aviação Civil (ANAC) quase triplicou em seis meses. Em julho de 2017 havia pouco mais de 12 mil pessoas, já em fevereiro de 2018 são mais de 30 mil.

A quantidade do aparelho passou de um pouco mais de 13 mil para mais de 33 mil unidades cadastradas. O uso é majoritariamente recreativo, tendo aumentado 172% nos últimos meses, enquanto o uso profissional teve um aumento significativo de 126%.

Dados: ANAC, 2018

Dados: ANAC, 2018

O drone é um veículo aéreo não tripulado (VANT) e controlado remotamente que pode realizar inúmeras tarefas. Ele pode ser usado para uso recreativo como filmar viagens e lugares exuberantes vistos de cima, como também em uso profissional para filmagens de longa-metragem, mapeamento agrícola, monitoramento de polícia e até resgate.

Pensando no aquecimento do mercado brasileiro, a DJI, fabricante mundial de veículos aéreos não tripulados e uma das líderes no mercado de drones, está investindo no Brasil. A marca acaba de inaugurar a primeira loja autorizada no Brasil (Rio de Janeiro) e realizou, recentemente, seu primeiro lançamento no país – o Mavic Air, drone portátil da DJI. Desenvolvido com foco em viajantes e entusiastas da vida ao ar livre, o aparelho filma com estabilização em 4K e tem um tempo máximo de voo de até 21 minutos.

“Estamos em uma ótima fase. O consumo de drones no Brasil está aumentando e sentimos a necessidade de estar mais próximos desses consumidores. E ainda há muito por vir”, diz Cinzia Palumbo, gerente sênior de marca da DJI.

Além da linha Mavic, que juntamente com a Spark é focada no uso recreativo, a DJI também possui drones para uso profissional, como os aparelhos da linha Phantom e Inspire. As aplicações são diversas e a cada momento surgem inúmeras possibilidades do uso de drone como um facilitador. Além dos drones, a empresa possui a linha Osmo para estabilizadores de imagem e a Ronin para uso profissional, bem como os Goggles, óculos de realidade virtual para uma experiência imersiva.

Regras do DECEA para drones recreativos

No último dia 11 de janeiro, mais de 350 pessoas acompanharam ao vivo a transmissão do webinar “Drones recreativos: Novas Regras do DECEA”. Mediado por Emerson Granemann, CEO da MundoGEO idealizador do DroneShow, o webinar foi um ping pong.

Dezenas de perguntas foram respondidas de forma muito assertiva e sem margem a dúvidas pelo Coronel Jorge Humberto Vargas, do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). A maioria das perguntas foi relacionada às diferenças entre o uso recreacional e não recreacional (comercial) dos drones.

Confira o replay na íntegra

Por dentro do mercado de Drones

Os drones já estão inseridos e estarão cada vez mais presentes na sociedade.

Durante a feira DroneShow 2018, maior evento de drones da América Latina que acontece de 15 a 17 de maio em São Paulo (SP), especialistas irão orientar os participantes a trabalharem dentro das regras.

Confira a programação completa e veja como foi a última edição, que reuniu mais de 3 mil participantes: