Campinas pode ser 1ª cidade a ter entregas de refeições por drone

A empresa SMX Systems / Speedbird Aero está buscando autorizações e planeja implementar o novo modal a partir de setembro

Negociações entre a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e a empresa SMX Systems / Speedbird Aero buscam colocar Campinas (SP) como a primeira cidade brasileira a ter entregas de alimentos por meio de drones.

A SMX Systems / Speedbird Aero é parceira do iFood, grupo que planeja usar o novo modal a partir de setembro. A empresa de entregas espera reduzir o tempo de serviço, geralmente realizado entre 15 e 20 minutos, para dois minutos e meio.

O grupo esta trabalhando para aprimorar os equipamentos, com objetivo de cumprir exigências dos órgãos reguladores, e fará pedidos formais de autorizações necessárias para Anac e Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea).

Estande da Speedbird na feira DroneShow 2019, realizada em maio passado na capital paulista

Estande da Speedbird na feira DroneShow 2019, realizada em maio passado na capital paulista

O drone desenvolvido para as entregas é 100% nacional, conta com 1,4 metro de diâmetro, seis motores, dois aparelhos de GPS, funciona com tecnologia 4G e tem até paraquedas para situações de emergência. “Se um motor parar, ele consegue voltar para o ponto de origem. Se dois falharem, ele aciona o paraquedas. Há uma preocupação com a segurança”, afirma Samuel Salomão, desenvolvedor do DLV-1, nome de batismo do equipamento criado pela Speedbird.

Segundo o desenvolvedor, a aeronave que será utilizada em Campinas é capaz de levar até dois quilos por viagem, e a caixa de transporte possui monitoramento da temperatura. “No e-commerce, em geral, cerca de 80% dos produtos estão abaixo de dois quilos, incluindo alimentos. O drone foi direcionado para esse trabalho”, explica Salomão. Em “condições ideias”, o drone tem autonomia de voo de 30 minutos, em velocidade que varia de 36 a 38 quilômetros por hora, em um raio máximo de cinco quilômetros.

O software para navegação e operação do drone também foi desenvolvido pela Speedbird e, segundo Salomão, realiza todo o voo de forma automatizada. Por uma questão de legislação, no entanto, é acompanhado por um operador, que pode intervir caso necessário. “Todo voo será automatizado, é pré-definido antes da decolagem. O acompanhamento existe porque não há, no mundo, autorização para voo autônomo”, conclui.

Com informações do G1

Regulamentação dos drones

Para quem não pôde estar presente no DroneShow e MundoGEO Connect 2019, realizado no fim de junho na capital paulista, ou para quem quer ir além e complementar sua atualização para o mercado através de cursos avançados, fóruns empresariais, mostra de tecnologia e rodadas de negócios, acontece de 5 a 7 de novembro no Hotel Meliá Ibirapuera, em São Paulo (SP), o evento DroneShow & MundoGEO Connect PLUS. As inscrições já estão abertas.

A regulamentação dos drones será um dos destaques no 8º Fórum Empresarial que vai acontecer dentro da programação do evento. As inscrições antecipadas com descontos especiais nas atividades do DroneShow & MundoGEO Connect PLUS já estão abertas em https://droneshowla.com/plus.

Por dentro do DroneShow & MundoGEO Connect PLUS

Quem estiver no DroneShow & MundoGEO Connect PLUS vai contar com conteúdos práticos e avançados relacionados a drones e geotecnologias. Serão 140 horas de conteúdo distribuídos em 15 Cursos, 3 Fóruns, Mostra de Tecnologia e Rodadas de Negócios.

Na mostra de tecnologia para negócios as empresas poderão mostrar suas soluções através de produtos e serviços. Serão organizadas também rodadas de negócios, mediante agendamento antecipado entre as empresas que participarem da mostra e os visitantes do evento.

Outro diferencial deste evento será a realização de Rodadas de Negócios, reunindo as empresas que participarem da Mostra de Tecnologia e contratantes potenciais selecionados pela MundoGEO entre os participantes e outros convidados.

DSMGplus-FB-CapaPáginaGrupo

Imagens de capa: LEX Studio