Projeto: Uso de drones para a gestão de Unidades de Conservação

O maior evento de drones e geotecnologia da América Latina reconheceu os melhores projetos do setor através do Prêmio DroneShow e MundoGEO Connect 2019. Conheça os ganhadores

trofeus dos premios droneshow e mundogeo connect 2019Um dos pontos altos do DroneShow e MundoGEO Connec 2019 aconteceu na noite de 26 de junho passado no 5º andar do Centro de Convenções Frei Caneca, na capital paulista: a cerimônia de premiação aos melhores do ano dos setores de drones e geotecnologias.

O Prêmio é realizado desde 2011, reconhecendo profissionais e instituições que se destacaram e contribuíram para o desenvolvimento dos mercados de drones e geo.

Além da votação online, foram reconhecidos também os melhores projetos enviados para os seminários, que foram selecionados pela equipe interna da MundoGEO, formada por Engenheiros Cartógrafos e Geógrafos.

Conheça em detalhes o projeto ganhador da categoria Geo & Drones para Recursos Naturais e Meio Ambiente:

Uso de drones para a gestão de unidades de conservação, fiscalização, licenciamento e auditoria ambientais

Projeto: Institucionalização, planejamento, criação de ferramentas e estruturação do uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARPs) para a gestão de unidades de conservação, fiscalização, licenciamento e auditoria ambientais no estado de Santa Catarina

ganhador do premio geo e drones para recursos naturaisAutor: Diego Hemkemeier Silva (IMA/SC)

Palavras-chave: Drone, Aeronaves Remotamente Pilotadas, IMA, Santa Catarina

Desafio: O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina – IMA/SC (ex-FATMA) é o órgão responsável pelo licenciamento, fiscalização, gestão de unidades de conservação e auditoria ambiental no estado. A busca pelo cumprimento dos Princípios da Administração Pública, em especial, a eficiência, incentivou o órgão a pensar em tecnologias que gerassem respostas mais rápidas à população. Buscou-se, então, soluções para alguns entraves/problemas como: riscos aos agentes fiscais/licenciadores em locais inóspitos, fragilidade de peças técnicas comprobatórias em multas e licenciamento ambiental, fiscalização de unidades de conservação, necessidade de mais mecanismos para atuação em incêndios, necessidade de eficiência na análise de processos, detecção de APPs, geração de modelos (MDT e MDS), análise de vigor com infravermelho, cubagem do material apreendido, detecção de poluição em corpos d´água, mapeamento de espécies florestais e o monitoramento de taludes e barragens.

Aplicativo de apoio droneSolução: Em 2016, criou-se a Câmara Técnica de Auditoria Ambiental de Precisão com o objetivo de buscar mecanismos tecnológicos que resolvessem problemas e entraves inerentes à atuação do órgão. Uma das alternativas buscadas foi o uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (ARPs) e, a partir desta tecnologia disruptiva, montou-se uma estrutura institucional para implantar, de forma organizada e dentro da lei, os drones na rotina de trabalho da instituição. Realizou-se o planejamento estratégico e operacional de toda a estrutura e atuação, considerando três aspectos principais: Legislação (estudo, análise e criação de regimento interno com base na Legislação Brasileira – ANAC, DECEA e ANATEL), Treinamento (de servidores do órgão e de outras instituições públicas) e Produtos Finais (proporcionar ao órgão a criação de produtos e tecnologias essenciais à solução dos problemas elencados anteriormente).

Resultados: Economizar R$ 2 milhões de reais aos cofres públicos (redução de horas de trabalho, diárias, combustível, uso de helicóptero/avião e agilidade), criar a Instrução de Trabalho (a primeira do Brasil para órgãos não ligados à Segurança Pública), treinar quase 200 servidores ao longo de 2017 e 2018 (do IMA/SC e de instituições que visualizaram o órgão como referência na área, incluindo o Ministério Público, Defesa Civil de SC e PR, PRF, PM, Bombeiros de SC, Secretaria de Justiça e Cidadania, entre outros), criar o Sistema de Gerenciamento do uso de Drones – SIGED (sistema online que organiza a disponibilidade dos drones), implantar a Rede para Processamento de Imagens – RPI (cada servidor pode processar as imagens, remotamente), disponibilizar 23 kits completos de drones, melhorar a qualidade de pareceres técnicos, implantar o GVANT (grupo de servidores), criar o site para informações aos servidores (www.projetovants.com), disponibilizar o aplicativo móvel para apoio, valorizar o servidor.

Exemplos de produtos elaborados: Imagem NDVI elaborada com câmera infravermelho, Análise de processos erosivos e deslizamento, Modelos Digitais para Análise Ambiental

Exemplos de produtos elaborados: Imagem NDVI elaborada com câmera infravermelho, Análise de processos erosivos e deslizamento, Modelos Digitais para Análise Ambiental

Drones e Geotecnologias na Indústria 4.0

Os eventos DroneShow e MundoGEO Connect 2019 aconteceram de 25 a 27 de junho em São Paulo, reunindo mais de 3.800 participantes, 120 marcas na feira e 240 horas de conteúdo com o tema Drones e Geotecnologias na Indústria 4.0. Confira os destaques do evento:

Imagem: Divulgação